Laboratório de Manejo Florestal

Apresentação

LABORATÓRIO DE MANEJO FLORESTAL DA UNICENTRO

O Laboratório de Manejo Flortestal da UNICENTRO está lotado no departamento de Engenharia Florestal no bloco G, campus de Irati-Paraná e conta atualmente com dois professores efetivos (Afonso Figueiredo Filho e Andrea Nogueira Dias) e uma professora Colaboradora (Fabiane Aparecida de Souza Retslaff), estudantes de doutorado, mestrado e de iniciação científica que desenvolvem pesquisas ligadas aos projetos em desenvolvimento. Conta ainda com engenheiros florestais na modalidade de bolsistas recém-formados, biólogos e geógrafos, além de acadêmicos com bolsa de apoio técnico ligadas ao projeto de manejo em pequenas propriedades (projeto Imbituvão). Tem o apoio de um funcionário Engenheiro Florestal e de um Técnico Florestal, especialista em dendrologia.

Os professores e alunos da área de Manejo Florestal têm realizado pesquisas com florestas naturais e com florestas plantadas. Em florestas naturais os professores têm parcelas permanentes instaladas na Floresta Nacional (FLONA) de Irati, Paraná e na Floresta Nacional de Três Barras, Santa Catarina.  Na FLONA de Irati o Laboratório tem em um fragmento de Floresta Ombrófila Mista com 1250 ha, 25 parcelas permanentes com área de 100 m x 100 m cada uma, totalizando uma área de 25 ha. Ainda nessa FLONA o laboratório dispõe de 10 parcelas permanentes instaladas sob um plantio de Araucária com mais de 60 anos de idade, onde se estuda a regeneração natural sob o plantio. Na FLONA de Três Barras, os professores têm também 26 parcelas (26 ha) instaladas em um fragmento de 700 ha com Floresta Ombrófila Mista.

O objetivo principal dessas parcelas é estudar a dinâmica (incremento, mortalidade e ingresso) da Floresta Ombrófila Mista (FOM), importante ecossistema do sul do Brasil. O estudo da dinâmica é fundamental para entender como a floresta se desenvolve e assim dispor de ferramentas dendrométricas capazes de subsidiar alternativas de manejo sustentável para a FOM.

As parcelas foram instaladas a partir de 2002 e têm sido remedidas periodicamente (em geral, a cada 3 anos), tendo gerado até o momento uma dezena de dissertações, com outras em andamento e algumas teses de doutorado (na UFPR e na UFSM) que também utilizam os dados até então coletados. As remedições são indispensáveis para o desenvolvimento de modelos matemáticos capazes de auxiliar no manejo da floresta.

Recentemente o laboratório adquiriu o sistema LINTAB, equipamento apropriado para avaliar estudos de anéis de crescimento a partir de rolos de incremento (obtidos com o Trado de Pressler) ou de análise de tronco completa.

O LINTAB, no momento, está sendo utilizado para estudos dendrocronológicos com uma tese de doutorado que pesquisa o crescimento das espécies nativas da FOM no sul do Brasil: Araucária, Cedro e Imbuia. Vários outros estudos utilizam atualmente o LINTAB para avaliar o crescimento da TECA, Pinus taeda, Araucaria angustifolia e vários outras espécies nativas da Floresta Ombrófila Mista.

Os professores da área de manejo florestal têm trabalhado também com plantios florestais de Pinus, Eucalyptus, Araucária, dentre outras. Buscam desenvolver ferramentas dendrométricas capazes de auxiliar na definição dos regimes de manejo desses plantios, tais como os modelos de crescimento e produção.

Neste aspecto, contam também com um experimento formal instalado para avaliar o efeito do espaçamento no crescimento de Pinus taeda. O experimento foi instalado em 2002 no próprio Campus da UNICENTRO em Irati com espaços vitais de 1 a 16 m2 e já gerou uma dissertação e artigos científicos. Atualmente, estudos com análise de tronco completa está sendo conduzido em uma dissertação de mestrado e estudos de biomassa e carbono em uma tese de doutorado na UFPR.

Os professores do laboratório atuam em mais de um grupo de pesquisa, mas têm como seu principal, o grupo liderado pelo prof. Afonso Figueiredo Filho, cadastrado no CNPq com o título: Produtividade e Manejo de Florestas.  Têm desenvolvido trabalhos técnico-científicos nas linhas de pesquisa:

  • Amostragem em levantamentos florestais
  • Estrutura e dinâmica de florestas naturais e plantações florestais
  • Modelagem do crescimento e da produção florestal
  • Volumetria e biomassa em ecossistemas florestais
  • Manejo de florestas naturais
  • Manejo de florestas plantadas

Os pesquisadores ligados ao grupo têm diversos projetos em andamento tanto em florestas naturais como em florestas plantadas e publicaram vários artigos técnico-científicos em revistas nacionais e internacionais, além da orientação/formação de vários estudantes de IC, mestrado e doutorado.

O laboratório está razoavelmente equipado com os principais equipamentos e softwares necessários para o ensino e a pesquisa na área da mensuração florestal. Para abrigar o contingente de pesquisadores que trabalham no laboratório, um novo prédio está sendo construído com recursos da FINEP com expectativa de estar funcionando no início de 2013.

Recentemete o laboratório começou a desenvolver mais dois projetos, “ESTRATÉGIAS PARA O MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO CENTRO-SUL DO PARANÁ, BRASIL” também chamado de Projeto Imbituvão e o Herbário Online.

67 ideias sobre “Laboratório de Manejo Florestal

  1. Gente obrigada por tirar minha dúvida em relação a uma flor que só abre ao entardecer numa mata próxima a minha casa, aqui em Recife-PE. Desejo sucesso ao trabalho de vocês.

  2. GERSON, PARABÉNS PELA SUA INICIATIVA, CRIANDO UM SITE ONDE MUITAS PESSOAS CONHECERÃO VARIAS ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS . CONTINUE NESSE CAMINHO COM MUITA PERSEVERANÇA . FELICIDADES .:
    FABIANO .’.

  3. Obrigado Fabiano estamos trabalhando cada dia mais, colocamos as espécies medicinais da Floresta Ombrófila Mista, na continuidade Ombrófila Densa e Estacional Semidecidual. E em breve Árvores Frutíferas e Exóticas e os Biomas Cerrado e Amazônia, abraço obrigado pelos acessos.
    Gerson Luiz Lopes.

  4. Estou impressionado pelo trabalho completo, estruturado e muito bem ilustrado. Teria sido uma coisa ótima se tivesse já existido na minha época de professor no antigo Colégio Florestal de Irati. Uma obra valiosa para estudantes, ambientalistas, madereiros e florestais. Parabéns aos autores!

  5. Prezado Dr. Bernhard Peichl,
    Agradecemos imensamente pela sua contribuição ao nosso trabalho, o qual é fruto de longos anos de dedicação. Nosso objetivo maior é de tornar conhecidas as espécies arbóreas de interesse silvicultural, sejam de florestas naturais ou implantadas, através da descrição das características dendrológicas e das potencialidades para uso da madeira, medicinal, ecológico e paisagístico. Desejamos o merecido sucesso no seu trabalho, como diretor do Distrito Florestal de Karlsruhe, Alemanha. Receba o nosso carinhoso abraço.

  6. Parabéns a todo pessoal do projeto que desenvolve e ama esse trabalho fantástico, parabéns por lutarem e ajudar essas pessoas a alcançar melhores resultados em suas propriedades a apoiar pequenos agricultores em seu trabalho, isso é lindo 🙂

    Sarah (ex bolsista do projeto)

  7. Parabens pela seriedade. Depois de muito procurar, achei um tesouro cientifico. Sou Engenheiro Agronomo, trabalho em ONG com os Guarani. Plantamos 30.000 arvores nativas en 2 anos em 8 aldeias. Eles plantaram, fizeram viveiros, irrigaram, cuidaram, com um indice de pega de mais de 95%. Impressionante, com 2 anos de seca no verao. Estava procurando informacoes sobre o Branquilho, que tem muito na minha casa, recem comprada, na periferia de Porto alegre, em area de vertente.
    Muito obrigado!!!!

  8. Ricardo Gundlach Schimitz obrigado pelo comentário e pelos acessos você pode encontrar em nosso site na Floresta Ombrófila Mista Família Euphorbiaceae fotos e descrição do braquilho caso tenha duvidas pode entrar em contato conosco abraço

  9. Ótimo este site, tenho uma árvore com fruto estranho em uma propriedade e até agora não consegui descobrir que planta é esta, gostaria de receber um e-mail para enviar foto, pois, acredito que vocês podem identificar o mesmo.

    Atn.,

    Raul

  10. ´PARABÉNS A TODA EQUIPE, O TRABALHO FEITO POR VOCES É SENSACIONAL,GRAÇAS A PESSOAS COMO VOCES, TEMOS AINDA ESPERANÇA DE UM MUNDO MELHOR. FIQUEM COM DEUS;

    • OBRIGADO PAULO CESAR CARVALHO DOS SANTOS ESTAMOS SEMPRE PROCURANDO FAZER O MELHOR SEU TRABALHO NA PRODUÇÃO DE MUDAS NATIVAS TAMBÉM AJUDA A NATUREZA ABRAÇO GERSON LUIZ LOPES

  11. Gerson, seu blog é maravilhoso.
    Apenas dando uma sugestão: criar uma lista em que as familias sejam localizadas mais facilmente (em uma página só)

    Poe a lista numa pagina só, com ordem alfabética.

    Atenciosament

  12. A página digital (“site”) de Manejo Florestal da UNICENTRO IRATI PR é uma das interfaces de busca de informações e disseminação de propostas com credibilidade para a área florestal, principalmente em termos de espécies da Floresta com Araucária.
    É ponderável de que se articule e se estruture um esquema amplo de pesquisa da Araucaria angustifolia para que os seus resultados com regularidade venham incrementar a sustentabilidade dessa simbólica e utilitária espécie.

    Trajano Gracia Neto
    Analista Ambiental/Engenheiro Florestal
    Floresta Nacional de Irati
    Município de Fernandes Pinheiro – Paraná

    • Um Feliz 2012 Trajano Gracia Neto, esse ano já começamos a postar novas espécies no site, vamos procurar sempre fazer o melhor para nossos acessantes.

  13. A Natureza é perfeita, linda. É feliz que sabe contemplá-la e principalmente protege-lá, assim como você Gerson que realiza esse lindo e nobre trabalho de proteção à Natureza. Adorei as orchideas e os pássaros. Parabéns.

  14. Gostei do novo capítulo das aves. Um site muito bem ilustrado e informativo. Como caçador que passa muito tempo na espera posso me imaginar a paciência para tirar as fotos dos pássaros. Parabéns e continuem!

  15. Olá! Gerson.
    Procurei pelo umbu ou embu ou umbuzeiro mas não encontrei no Herbário Gerson Lopes, pois essa árvore é considerada mais longeva que a araucária. Um magnífico exemplar no km 333+200 m da BR-153 no bairro Ouro Verde em Irati corre o risco de ser eliminada, já fiz a minha manifestação para que não ocorra, pois existem outras alternativas para o acesso ao loteamento Sérgio Stoklos.

  16. Gerson, você me mandou visitar seu site, e eu vim e achei muito legal, você me viu hoje lá na pousada Canyon Guartelá.Sempre que precisar eu vou entrar no seu site 😉

  17. Eu procuro um site desses há tempo , pois preciso identificar árvores , sem flores,, sementes e fica difícil , quando acho uma espécie, que nunca vi antes; parabens , muito bom ; Sabino- Eng. agrônomo.

    • Benedito Sousa Cavada muito obrigado é isso que nos dá força para continuar mesmo com recursos próprios o que não é muito mas faço o possível Muito obrigado. Gerson Luiz Lopes

    • Antonio Carlos de Souza Medeiros, trabalho a 43 anos com plantas nativas então resolvi fazer o site a Universidade só Hospedou o site o resto fiz tudo por conta própria livros, maquina, fotos, viagens, sua cunhado do Escritor Dr Paulo Ernani Ramalho Carvalho, Espécies Arbóreas Brasileiras, então resolvi deixar meu legado e graças a Deus consegui, hoje tenho, mais de 1000 acessos diários sendo de 63 Países, 5% vem dos Estados Unidos. Obrigado pela visita Gerson Luiz Lopes

    • Fabio Grigorvski, deve procurar um órgão Ambiental da região eles podem esclarecer suas duvidas e indicar as espécies indicadas no plantio das nascentes, Obrigado pela visita, na faculdade onde trabalho tem um grupo de alunos que produzem cogumelos. Gerson Luiz Lopes.

  18. Parabéns pelo trabalho e pelas excelentes imagens,o site está me ajudando muito em meu TCC,sou graduanda do curso de ciências biológicas bacharel e uma amante da botânica e aproveitando o espaço,gostaria de pedir uma dica,qual a técnica que vocês utilizam para a identificação de canelas?pois estou encontrando dificuldade para identifica-las a olho nú
    desde já agradeço

    • Luana Lemos então sou Dendrólogo e trabalho a 43 anos, não só as canelas mas várias outras famílias apresentam problemas de identificação, mas eu sempre vejo a espécie como um todo flores frutos, cheiro, tronco mas é difícil, se não tiver todos só com folhas fica impossível. Gerson Luiz Lopess

  19. Saberiam me dizer, por gentileza, onde consigo mudas de bambu maciço, aquele sem oco, ou do tuloides, bambus entoucerantes (não alastrantes) em Goiás, se possível próximo à Goiânia? Pode ser pronta ou para arrancar na touceira. Agradeço a informação. Bom dia a todos/as.

  20. Boa noite, Gerson Luiz.
    Excelente seu trabalho.
    Gostaria de saber, se posso utilizar suas imagens em um trabalho que estou fazendo, é claro que sempre citando você.
    Obrigada

  21. Parabéns à toda a equipe pelo trabalho realizado, sou mestranda da Feevale em Toxicologia e Análises toxicológicas e o meu trabalho é sobre a Acácia-negra,estudos pré-clinicos e toxicologia in vitro e in vivo da Acácia mearnsii DE WILD, se houver interesse, divulgarei a dissertação!

    • Ana Valéria de Oliveira Gonçalves obrigado se você quiser mandar o trabalho poderei citar algumas partes que venham enriquecer o site citando seu trabalho, faça uma visita a minha página sobre Teca usei referencia de uma Aluna que cedeu seu trabalho. Obrigado Gerson Luiz Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *