Ocotea porosa (Nees & Mart.) Barroso Imbuia, imbuia-amarela

Foto 1 – Folhas frente e verso fruto maduro.Foto 2 – Vista da espécie com frutos semi-maduros.Foto 3 – Vista da espécie com frutos verdes.Maitaca

Foto 4-  Maitaca-verde Pionus maximiliani (kuhl,1820). Consumidora dos frutos da espécie.

Foto 5 – Tronco geralmente tortuoso, casca externa varia com a idade nas árvores mais velhas, com fissuras profundas, desprendendo-se  em placas irregulares, deixando cicatrizes côncavas.Foto 5 – Vista parcial da copa e tronco da espécie.

Família: Lauraceae.

Nome científico: Ocotea porosa (Nees & Mart.) Barroso

Sinonímia botânica: Oreodaphne porosa Nees et Martius ex Nees; Phoebe porosa (Nees & Martius) Mez.

Nomes populares:  Ocotea-imbuia (RNC), imbuia, imbuia-amarela

Origem do nome  da espécie: Ocotea nome popular na Guiana; porosa apresenta poros na madeira.

DESCRIÇÃO DA ESPÉCIE

Árvore semidecídua e heliófita, espécie  secundária tardia (DIAS et al., 1998) ou clímax tolerante a sombra. Muito encontrada na mata dos pinheirais. Sua altura média atinge até 25 m seu diâmetro pode chegar até 150 cm.

Folhas: simples, alternas,oblongo-lanceoladas, coriáceas, apresentam 2 a 3 domácias, na face inferior, monoclinas e trímeras.

Flores: amarelas, pequenas, com cálice revestido de pelos dourados.

Fruto: drupa globosa (KUNIYOSCHI,1983) ou baga elíptico-globosa (PEDRLALLI,1986)

Floração: Setembro/Novembro.

Frutificação: Janeiro/Março.

Sistema sexual: planta hermafrodita.

Polinização: abelhas, insetos, coleópteros e tripes.

Dispersão: zoocórica aves e mamíferos

Ocorrência: Floresta Ombrófila Mista, no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul.

Apícola: as flores são atrativas para abelhas.

Paisagístico: essa espécie pode ser usada em arborização urbana ( LIMA e GURGEL FILHO,1984; CESP, 1984).

Utilização: confecção de móveis de luxo, construção civil, peças torneadas, mobiliário de luxo, folhas faqueadas, tacos, assoalhos, portas, janelas.

Bibliografia consultada

CARVALHO, P.E.R.Espécies Arbóreas Brasileiras. Coleção Espécies Arbóreas Brasileiras, vol. 1. Brasília: Embrapa Informações Tecnológica; Colombo, PR: Embrapa Florestas, 2003. 1.039 p.

CARVALHO, P.E.R.; ZELAZOWSKI, W.H.;  LOPES, G.L. Comparação entre espécies nativas com one-tree-plot em Foz do Iguaçu, PR. (I). Colombo: EMBRAPA-CNPF, 1999. 2p. (EMBRAPA-CNPF. Pesquisa em andamento, 14). Biblioteca(s):AI-SEDE (FL 08515-CNPF EMB); CNPF (FL PA0014 UMT).

Comportamento de 18 espécies florestais plantadas em quatro arboretos da COAMO. DOCUMENTOS URPFCS – NÚMERO 05 NOVEMBRO, 1981. Disponível em: www.cnpf.embrapa.br/publica/seriedoc/edicoes/doc05.pdf. Acesso em: 23/10/2011.

Ministério da Agricultura  Pecuária e Abastecimento. Registro Nacional de Cultivares RNC. Disponível  em: http://extranet.agricultura.gov.br/php/proton/cultivarweb/cultivares_registradas.php Acesso em: 23/10/2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *